Mistérios e Segredos do Sítio Casarão

Mystery and Secrets of the ranch townhouse

TEMPO NOVO

quarta-feira, 1 de abril de 2015

III WORKSHOP SOUL JAZZ e I MOSTRA JAZZ DANCE VITÓRIA!

terça-feira, 31 de março de 2015

A PROGRAMAÇÃO DO MANGUINHOS JAZZ & BLUES FESTIVAL!

Manguinhos Jazz & Blues Festival em Manguinhos, Espírito Santo, Brazil

Programação

 
Dia 03 de abril de 2015 - (sexta-feira)

 

18h30 às 19h30 - Aruanda (ES) 19h50 às 20h50 
                             André Vasconcellos (RJ)

21h10 às 22h20 - BadGuysBlues (ES) 22h40 às 00h     - Hammond Grooves (SP)
 

Dia 04 de abril de 2015 - (sábado)
 

19h30 às 20h40 - Hellem Pimentel (ES)
 21h às 22h10 - Igor Prado Band (SP) 
                          Participação especial Luciano Leães (POA)
22h30 às 00h - Tia Carroll (EUA)

ACOMPANHE O EVENTO NO FACEBOOK!

CURSO DE MÚSICA BRASILEIRA COMEÇA QUINTA!


PROJETO AQUARELA CAPIXABA, NO TEATRO UNIVERSITÁRIO, AMANHÃ!

A produção musical capixaba ganha mais um novo espaço na Ufes. Acontece nesta quarta-feira, dia 1º de abril, no Teatro Universitário, o lançamento do projeto “Aquarela Capixaba”.
  
O projeto, promovido pela Superintendência de Cultura e Comunicação da Ufes, prevê a realização de  15 shows de artistas capixabas até dezembro. Na abertura, o show terá início às 20h30 e ficará por conta do músico André Prando (foto), que receberá alguns convidados durante a apresentação. No evento, Prando também lançará o CD “Estranho Sutil”, que vem reforçar o discurso da “beleza do feio” e do “estranho”.

O nome do projeto é uma homenagem ao compositor capixaba Chico Lessa, autor da música “Aquarela Capixaba”. “Nossa proposta é amplificar e divulgar a cena cultural capixaba em todos os estilos musicais,” ressalta o secretário de Cultura da Ufes, Rogério Borges.

Para a coordenadora do Teatro Universitário, Léia Pandolfi, o teatro vem contribuir na profissionalização das produções dos espetáculos e na difusão dos artistas capixabas. Todas as apresentações serão gravadas e veiculadas na Rádio Universitária 104.7.

Os ingressos para o show de abertura estão disponíveis no site www.ingressos.com ou na bilheteria do Teatro, que funciona de terça a sexta-feira, das 15 às 20 horas. Mais informações pelo telefone (27) 4009-2953.

Texto:  Nayara Santana
Edição: Thereza Marinho


Fonte: UFES

sábado, 28 de março de 2015

A ESTRADA NO CAMINHO DA ONÇA-PARDA: ASSINE A PETIÇÃO CONTRA ESSE DESCASO!


Últimos Refúgios (Last Refuges)

Uma estrada no meio do caminho da onça-parda!

ASSINE A PETIÇÃO ONLINE por medidas emergenciais contra atropelamentos de animais silvestres na Reserva Biológica de Sooretama e Reserva Natural Vale!


LINK DA PETIÇÃO, AQUI
 
Por ano, mais de 20 mil animais, das mais diversas espécies, são mortos por atropelamentos no trecho de 25km que corta o complexo florestal que engloba a Rebio de Sooretama, a Reserva Natural Vale e outras áreas particulares de matas menores.

Nesse ritmo a extinção de espécies, como as onças-pardas, será acelerada e perderemos estes tesouros biológicos para sempre.

Saiba mais sobre a AÇÃO EM DEFESA DA RESERVA BIOLÓGICA DE SOORETAMA: Clique AQUI!
Veja AQUI, algumas medidas propostas por um grupo de pesquisadores que participaram do Workshop de Ecologia de Estradas, realizado na Universidade Federal do Espírito Santo.

Compartilhe também este vídeo para que mais pessoas tomem ciência da situação e tenham vontade de fazer algo para ajudar.

sexta-feira, 27 de março de 2015

SERÁ? DESVENDADO MISTÉRIO DA ILHA DE PÁSCOA!


Um dos maiores mistérios a respeito de antigas civilizações é sobre como as estátuas gigantes da Ilha de Páscoa no Oceano Pacífico, conhecidas como moais, foram transportadas até o local, uma vez que pesavam várias toneladas e o antigo povo da região, os rapanuis, não tinham ferramentas tão avançadas para o transporte.

Recentemente, pesquisadores da Universidade do Estado da Califórnia, nos EUA, criaram uma réplica de um moai para testar uma das hipóteses levantadas, que é a ideia de que as estátuas podiam “caminhar”.

Eles descobriram que os moais podiam ser puxados de um lado e de outro pelos habitantes, de modo semelhante a forma como hoje movemos uma geladeira, mas com a ajuda de grandes cordas. O relatório foi publicado na revista Nature.

Veja o vídeo:


LEIA MAIS, AQUI!